Áreas de Intervenção

PSICOLOGIA EDUCACIONAL E PSICOPEDAGOGIA

Jean Piaget, psicólogo de referência do séc. XX, pai da Teoria do Desenvolvimento Cognitivo e da Aprendizagem, defendia:
“A principal meta da Educação é criar pessoas capazes de fazer coisas novas, não simplesmente repetir o que outras gerações fizeram”, usando as capacidades cognitivas e as competências intelectuais até ao seu limite individual!
“A segunda meta da educação é aprender e continuar a desenvolver as suas aptidões para além do proporcionado na escola… promover mentes que estejam em condições de criticar, verificar e não aceitar tudo que a elas se propõe, sem problematizar”.

A intervenção a nível educativo e psicopedagógico focada nos processos de ensino-aprendiazagem.
Passa pelo despiste, avaliação e diagnóstico que permite identificar as dificuldades ou défices na aprendizagem e eliminar as barreiras que podem estar a influenciar o insucesso ou baixo rendimento escolar.
A avaliação define o perfil psicológico e psicopedagógico do aluno e diagnostica as diferentes problemáticas:

  • Causas do Insucesso Escolar;
  • Necessidades Educativas Específicas;
  • Dificuldades de Aprendizagem associadas à leitura, escrita, cálculo e raciocínio-lógico matemático, raciocínio abstrato, compreensão e interpretação de conceitos: Dislexia, Disortografia, Discalculia e Disgrafia;
  • Perturbação Hiperatividade e Défice de Atenção/Concentração;
  • Problemas de Memória;
  • Perturbações ou Atraso no Desenvolvimento;
  • Défice Cognitivo de Ligeiro a Moderado;
  • Síndrome de Asperger e Autismo;
  • Perturbações Neurocognitivas e Neurocomportamentais;
  • Perturbações Comportamentais e Sócio-Relacionais;
  • Comportamento Desafiante-Opositor, Agressividade, Comportamentos Desviantes;
  • Sobredotação;
  • Bullying;
  • Baixa Autoestima;
  • Hábitos e Métodos de Estudo;
  • Motivação versus Absentismo Escolar;
  • Ansiedade e Stress;
  • Exaustão Psicológica: Burnout Académico
  • Avaliação Psicopedagógica para Ingresso Antecipado no 1.º Ciclo do Ensino Básico ou Retenção no Ensino Pré-Escolar
  • Relatórios Técnico-pedagógicos, incluindo CIF, para a elaboração de PEI nos Agrupamentos de Escolas
  • Formação e Supervisão de Docentes do Ensino Especial

Quão mais cedo for realizada a avaliação psicológica e psicopedagógica, maiores são as probabilidades de sucesso terapêutico devido a uma intervenção precoce que promove a superação das dificuldades e obstáculos identificados.

O objetivo é otimizar a aprendizagem em geral, as suas dificuldades ou défices, direcionado a todas as crianças, adolescentes e adultos que apresentem sinais de alarme em aspetos diferenciados, no sentido de promover as competências intelectuais, afetivas e sociais que favoreçam a estimulação das suas capacidades, aptidões e competência, capacitação para a autonomia e responsabilidade, com a finalidade de superação e/ou minimização dos défices que podem estar a comprometer o percurso escolar e académico.

A intervenção é adequada às necessidades individuais de cada um com base no perfil psicológico e/ou neuropsicológico traçado durante a avaliação.
As estratégias e metodologia passam pelo treino cognitivo, programas comportamentais e pela aplicação de técnicas específicas em função das necessidades e problemáticas individuais, como também pela promoção dos recursos emocionais da personalidade.
A par da intervenção individualizada com o aluno e eventualmente com a família, o psicólogo tem um papel ativo, há uma articulação com os variados contextos (Hospitais, Escolas, Comissão de Proteção de Crianças e Jovens, Centros de Saúde e outros), outros agentes educativos e técnicos em contexto formal e informal, elencado no princípio da qualidade, competência e humanização, de forma a proporcionar um serviço profissional idóneo, credível e de qualidade.

ORIENTAÇÃO ESCOLAR E PROFISSIONAL

ESCOLHA INFORMADA E CONSCIENTE

“A Autodescoberta é orientada pelo profissional de psicologia” Donald Super

A escolha de uma carreira vocacional e profissional é uma etapa muito importante e determinante do percurso de vida.

É essencial identificar os próprios interesses, capacidades e aptidões, por outro lado, deve ser uma escolha baseada no conhecimento das oportunidades formativas e profissionais existentes, conjugando com o perfil psicológico e cognitivo de cada um, de forma a garantir uma plena integração e satisfação no mundo laboral futuro.

A Orientação Escolar e Profissional, mais do que uma avaliação, é um processo que procura proporcionar uma auto-descoberta de forma sistematizada:

  • o perfil intelectual para perceber em que áreas tem maior ou menor aptidão, de modo a saber potenciar as suas capacidades por excelência;
  • os interesses por atividades e profissões;
  • a personalidade, os valores, objetivos de vida, com vista, a promover uma satisfatória adaptabilidade ao percurso académico e profissional futuro;
  • a maturidade vocacional, no sentido de entender a consistência entre as suas escolhas, o modo como se perceciona e colocação em prática.

É um processo que permite ao jovem e adultos conhecer as suas capacidades, identificar os seus interesses e características de personalidade, apoiando-os na tomada de uma decisão realista e adequada para o seu futuro.

Programa de Orientação Escolar e Vocacional

1.º Momento: Entrevista Diagnóstico de Necessidades de Orientação Vocacional e Identificação de Expectativas (jovem e/ou encarregado de educação);

2.º Momento: Análise de Aptidões, Interesses Profissionais e Perfil Psicológico (personalidade) através da administração de uma bateria de testes psicológicos específicos;

3.º Momento: Devolução dos Resultados e Exploração das Opções Escolares e Profissionais. Entrega de Relatório que descreve e  explana os dados obtidos da avaliação e sugere as áreas de estudo ou atividades profissionais que mais se adequam às características individuais aferidas e ao seu perfil de personalidade, com a finalidade da construção de um projeto de vida

4.º Momento (facultativo): Aconselhado pelo psicólogo e/ou requerido pelo jovem, adulto ou encarregado de educação, estabelece-se um plano de intervenção para treino e desenvolvimento de competências, hábitos e métodos de estudos, de acordo com os respetivos objetivos e programação de sessões. A intervenção é individual, neste último momento.

Destinatários: A consulta de Orientação Escolar e Vocacional destina-se a jovens em idade escolar – 9.º e 12.º anos de escolaridade – em fase de transição ou com interesse em analisar as aptidões e interesses vocacionais, ou a adultos em fase de transição para o ensino superior ou deste para o mercado de trabalho.

Número de Sessões: 5 a 6 sessões

Duração da Sessão: 50 minutos a 120 minutos

Horário de Atendimento:

3.ª Feira das 10H às 13H – 14:30H às 20H

Sábado das 11H às 13H – 14:30H às 20H

Honorários:

Sessões Individuais: 35,00 €

Sessões Grupo (máximo 3 pessoas) 25,00 €

ACONSELHAMENTO PARENTAL E PARENTALIDADE CONSCIENTE

“O tempo na relação entre pai e filhos. Temos verdadeiramente o poder interior da metamorfose. Saber que há limites permite aos filhos atuarem em liberdade dentro desses limites e sentirem segurança para explorar e crescer. Os filhos têm mais necessidades de modelos do que de críticas” Pedro Strecht

A Parentalidade Positiva e Consciente define-se como um “comportamento parental baseado no melhor interesse das crianças e jovens que assegura a satisfação das suas principais necessidades e a sua capacitação, sem violência, proporcionando-lhe o reconhecimento e a orientação necessários, o que implica a fixação de limites ao seu comportamento, para possibilitar o seu pleno desenvolvimento” (cit. Recomendação do Conselho da Europa, Lisboa 2006)

Visa criar as condições necessárias e suficientes na promoção de um desenvolvimento integral equilibrado – físico, emocional, social, familiar e educativo –, para que as crianças e jovens possam promover de forma adequada as capacidades e personalidade: comportamentos adequados, respeito, responsabilidade, autonomia, ajuste emocional e social, comunicação, resolução de problemas, tomada de iniciativa e resolução de conflitos, tanto dentro, como fora da fratria.

Intervenção no âmbito familiar que visa novas estratégias, modelos educacionais e relacionais, definição de medidas securizantes e de negociação que potenciem a capacitação dos pais e filhos na promoção de um ambiente familiar saudável.

Destinatários: Pais e Filhos

Duração da Sessão: 50 minutos

PSICOLOGIA CLÍNICA E SAÚDE

“O principal objetivo da terapia psicológica não é transportar a pessoa para um impossível estado de felicidade, mas sim ajudar a adquirir firmeza e paciência diante o sofrimento” Carl Jung

“Compreender tudo, não é tudo perdoar. A psicoterapia ensina-nos não apenas o que podemos suportar, mas também o que devemos evitar e eliminar através do autoconhecimento e da mudança individual (…) As emoções não expressas nunca morrem. São enterradas vivas e saem da pior forma mais tarde” Freud

NEUROPSICOLOGIA

spo

“Ciência cujo objetivo específico é o estudo do papel dos sistemas cerebrais individuais nas formas complexas da atividade mental e a sua influência direta no comprometimento dos processos psicológicos” Alexander Luria

MEDIAÇÃO FAMILIAR

“É um processo cujo objetivo principal é chegar a um acordo, único, justo, equilibrado e duradouro, que contemple os interesses da família e de todos os intervenientes envolvidos” Ministério da Justiça

Intervenção na tentativa de promover a comunicação e a tranquilidade, com o intuito de abordar o conflito conjugal e familiar na sua inteira dimensão e complexidade, procurar “pontes” e estabelecer consensos, o que não acontece numa decisão judicial a qual tem por objetivo pôr fim a um litígio, mas não a um conflito.

Meio alternativo aos tribunais de resolução de conflitos familiares. Nas situações de divórcio/separação, regulação das responsabilidades parentais, partilha de bens, sucessão e conflitos familiares de vária ordem, que visam, essencialmente, precaver o superior interesse dos menores, sanar conflitualidade e dispostas de empoderamento que, muitas vezes, estão na génese da Síndrome de Alienação Parental.

Apresenta inúmeras vantagens, entre as quais, a proteção da exposição da vida privada, a redução do tempo de resolução e dos custos económicos, a defesa dos recursos emocionais e psicológicos dos envolvidos, facilita a comunicação, fomenta a coparentalidade e promove a construção de afetos.

O seu exercício e o estabelecimento dos mais variados acordos implicam o conhecimento da legislação vigente, especialmente no que respeita ao Direito da Família.

A celebração dos diversos acordos deve ser feita, tendo por base esse mesmo conhecimento, sob pena de se chegarem a acordos sem qualquer viabilidade e conformidade legal.

Número de Sessões: variável

Duração da Sessão: 50 minutos a 120 minutos

Honorários: 50,00 € por Sessão

O sucesso dos nossos clientes são o nosso sucesso!

… Juntos seremos uma equipa vencedora!

Subscreva a nossa newsletter, e visite-nos nas redes sociais para ficar ao corrente de todas as novidades